domingo, 19 de junho de 2011

Você sabia, que vários provérbios populares que falamos, estão errados?

Ditado popular ou provérbio são frases que transmitem um conhecimento a respeito da vida. Por se tratar de uma cultura regional é difícil descobrir a origem dos provérbios, que passam ao longo dos anos pelas gerações.

Ao passar de boca em boca, os ditados populares muitas vezes são mal interpretados e falados de maneira errada.

Veja alguns exemplos:

Quem não tem cão, caça com gato”, mesmo sendo falado errado dá para entender que, se você não tem uma coisa, utiliza outra. Porém o correto é, “Quem não tem cão, caça como gato”, ou seja, sozinho. Os gatos não saem em busca de alimento em bando, mas sempre solitários....

“Esse menino não para quieto, parece que tem bicho carpinteiro”, mas será que é carpinteiro é um bicho também? Não, o correto é: “Esse menino não para quieto, parece que tem bicho no corpo inteiro”.

“Batatinha quando nasce, se esparrama pelo chão”. O restante deste singelo poema todos nós já conhecemos, o que não conhecemos é a maneira correta de fala-lo. Batata é uma raiz, nasce enterrada, por isso não tem como ela se esparramar pelo chão. O correto é: “Batatinha quando nasce, espalha a rama pelo chão”.

Alguém alguma vez já viu a cor de um burro quando ele foge? Então podemos concluir que o ditado, “Cor de burro quando foge”, está com algum problema. O certo é: “Corro de burro quando ele foge”, por que quando um burro foge se torna muito agressivo.

Quem tem boca vai a Roma”, e para qualquer outro lugar do mundo. Basta apenas perguntar. Mas o correto é: “Quem tem boca vaia Roma”, do verbo vaiar.

Cuspido e escarrado”, quando falamos que uma pessoa é muito parecida com outra, mas o certo é: Esculpido em Carrara”, Carrara é um tipo de mármore.

E para terminar, “Enfiou o pé na jaca”, dá para entender com este provérbio que a pessoa bebeu além da conta. Mas o correto é, “Enfio o pé no jacá. Antigamente, os tropeiros paravam nas vendas para tomar pinga. Quando bebiam demais, era comum colocarem o pé direito no estribo e, quando jogavam a perna esquerda para montar no burro, erravam e pisavam no jacá (o cesto em que as mercadorias eram carregadas) e com isso acabavam caindo. Por isso, quando alguém bebe demais diz que ele enfia o pé no jacá, a fruta jaca, não tem nada haver com isso.

Para cada momento de nossas vidas sempre tem um provérbio popular adequado. Puxe pela memória, com certeza lembrará. E você falou corretamente o ditado popular?

Cultura inútil as vezes serve para alguma coisa!!  kkkk

Abraço aos leitores do BLOG!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário